Menu > Catálogo > CRISE DO VALOR DE TROCA, A. André Villar Gomez e Marcos Barreira (Tradutores)

A CRISE DO VALOR DE TROCA

Robert Kurz (Autor)

André Villar Gomez e Marcos Barreira (Tradutores)

 

SINOPSE: Na revista Crítica Marxista, após uma “fase de maturação teórica mais longa”, Kurz elabora pela primeira vez sua teoria da crise a partir dos processos de cientifização do trabalho e dos seus efeitos na produção global de mais-valia. “A nova crise não é mais uma crise passageira de superacumulação ou de superprodução”, diz Kurz, e sim “uma crise da própria criação de valor, diante da qual o capital não encontra mais saída”. Essa crise deriva de uma contradição entre a enorme produtividade material criada pelo capitalismo e o seu aprisionamento na forma social do valor. Sua contribuição seminal para a teoria da crise da crítica do valor foi apresentada em um olhar retrospectivo no Editorial de Krisis 12: “Quando apareceu o ensaio A crise do valor de troca na antiga Crítica Marxista n.1, em 1986, ficou totalmente claro para nós que essa contribuição implicava uma guinada fundamental contra a corrente principal de toda formação teórica marxista precedente. Contudo, não tínhamos a menor suspeita do que tudo isso viria a significar”. Por outro lado, “o ensaio A crise do valor de troca operava – de um modo completamente ingênuo para nosso ponto de vista atual – com uma referência positiva à boa e velha luta de classes e ainda via de forma muito tradicional a classe trabalhadora como sujeito revolucionário”. A ruptura que se seguiu representou um abandono do ponto de vista do trabalho como fundamento da teoria social crítica. Ao longo dos anos, o desenvolvimento da crítica do valor levou à superação não só da ontologia do trabalho, mas também da “perspectiva de classe”, que no ensaio de 1986 ainda é assumida positivamente. A crise do capitalismo e a ampliação do desemprego em massa ainda aparecem neste último como um acirramento dos conflitos de classe e não como um desmoronamento do sistema de referência comum ao capital e ao trabalho. A crise significaria apenas a supressão da relação de valor, mas em conformidade com a afirmação da classe operária “libertada” do trabalho produtivo imediato.

 

SOBRE O AUTOR: Robert Kurz, (1943-2012) viveu em Nuremberg como publicista autônomo. Foi cofundador e redator da revista teórica (EXIT! - Crítica e Crise da Sociedade da Mercadoria). A área dos seus estudos abrangeu a teoria da crise e da modernização, a análise crítica do sistema mundial capitalista, a crítica do Iluminismo e a relação entre cultura e economia. Publicou regularmente ensaios em jornais e revistas na Alemanha, Áustria, Suíça e Brasil. O seu livro O Colapso da Modernização (1991), também editado no Brasil, provocou grande discussão. Publicou também, entre outros, Schwarzbuch Kapitalismus (O Livro Negro do Capitalismo) em 1999, Weltordnungskrieg (A Guerra de Ordenamento Mundial) em 2002, Das Weltkapital (O Capital Mundial) em 2005 e Geld Ohne Wert.

 

FICHA TÉCNICA:

EDITORA CONSEQUÊNCIA

ASSUNTO: CIÊNCIAS SOCIAIS, POLÍTICA.

IDIOMA: Português        

FORMATO: Brochura

TAMANHO: 21,0 x 14,0cm

EDIÇÃO: 1ª – 2018

PÁGs. 136

LOMBADA: 0,70 cm

ISBN: 9788569437352

 

PagSeguro (Boleto ou Cartão)
1
X
35,00
Retirar no local: Consequencia Editora
1
X
35,00
X
Seja Bem-vindo!
Cadastre-se. Receba novidades, ofertas e cupons.
Desenvolvido por Lojas Virtuais BR